Você sabe o que pode provocar a queda de cabelo em homens e mulheres? Algumas causas já são muito conhecidas e outras deixam todos na dúvida se é mito ou verdade. A alopecia, nome dado à queda dos cabelos, provoca uma mudança na aparência e preocupação tanto nos homens quanto nas mulheres. Uma das formas mais comum é a alopecia androgenética ou calvície (nome mais usado), evidenciada por uma perda gradual e progressiva dos cabelos devido a fatores hereditários.

Segundo dados da Universidade UTP, a alopecia androgenética é o tipo mais comum de calvície no sexo masculino, representando em 50% dos homens. No entanto, no sexo feminino é identificada por Alopecia de Padrão Feminino e começa a acontecer entre a idade de 30 a 40 anos, e na fase da menopausa pode piorar ao ocorrer o afinamento dos cabelos.

Por isso, é importante saber a fonte do desequilíbrio para encontrar a melhor forma de tratá-la e evitar que ela volte a acontecer.  Portanto,  veja o que é mito e o que é verdade, continue por aqui e fique por dentro do assunto!

Estresse

Estudos já foram feitos e parte de pesquisadores têm como verdade que o estresse interfere na queda do cabelo. Outros acham que este assunto ainda precisa ser mais explorado e discutido, motivo pelo qual novos estudos sempre estão sendo feitos. Artigos científicos relatam que o estresse pode, em algumas pessoas, ser um dos fatores do início e piora de alguns tipos de alopecia ao interferir na modulação da resposta imune por parte de fatores psicológicos.

O estresse provoca diferentes reações no nosso organismo sendo responsável por profundas alterações emocionais, que levam a mais ansiedade, estresse e depressão. Assim, desencadeando o aparecimento de diversas doenças inflamatórias e autoimunes.

Gravidez

Nessa fase a mulher passa por algumas mudanças causando alterações fisiológicas. Além das alterações externas, o corpo modifica suas funções, que são adaptadas para a nova condição orgânica.

Na época da gestação, diminui a queda natural do cabelo, pois o cabelo permanece mais tempo na fase anágena, fase de crescimento. Já no pós-parto, com as alterações hormonais alguns fios deixam a fase anágena e entram mais rapidamente na fase telógena, fase de queda. No entanto, a queda acentuada pode se dar por outros motivos como a perda de sangue, alteração repentina no peso, alteração no sono, anemia, estresse e má alimentação.

Portanto a queda durante a gravidez não deve ser acentuada, mas depois em torno do terceiro mês após o parto acontece, porém é passageira e regride espontaneamente. O ideal seria consultar um especialista para descobrir o que está acontecendo.

Uso de secador de cabelo

Essa é uma ideia bastante difundida, porém, não há uma relação direta entre usar o secador e a queda de cabelo. O que pode ocorrer se não houver nenhum cuidado, é o aparelho queimar o fio ou o couro cabeludo devido à alta temperatura do ar que sai lá de dentro e pequenas distâncias entre o secador e o cabelo ou ao esticá-lo bastante durante a secagem.

Contudo, outra situação que poderia enfraquecer ou quebrar o fio, além de provocar a queda de cabelo, é decorrente do excesso de tração exercida cronicamente no cabelo em penteados, como rabos de cavalo, trancinhas e em técnicas de alisamento.

Medicamentos

O uso de alguns medicamentos pode ocasionar queda dos cabelos, logo após a introdução do fármaco ou alguns meses durante a utilização. Isso acontece quando a matriz do folículo é mitoticamente muito ativa e, portanto, susceptível a fármacos citostáticos. Como exemplo, citamos a amiodarona, que pode ocasionar uma discreta e diária queda. O captopril que leva a diminuição do zinco e causa a alopecia nutricional. Os retinoides, devido sua propriedade de acelerar a velocidade de crescimento dos cabelos, tornando o ciclo mais curto e com finalização mais rápida. Medicamentos tópicos também podem ocasionar alterações no cabelo. Todavia, a alopecia induzida por fármacos quase sempre será reversível após o término da terapia dentro de 1 a 3 meses após a suspensão.

Alguns outros ativos também podem causar essa queda de cabelo, como a intoxicação com plantas: Abrus precatorius, Leucaena glauca, Lecythis e outras. O arsênio usado na lavoura como pesticida. O chumbo usado em tintas. Os mercuriais usados em cosméticos e antissépticos. E o iodo e iodetos.

Má alimentação

A má alimentação pode provocar efeitos negativos na síntese da fibra capilar. A falta de oligoelementos e proteínas podem acarretar anormalidade nos fios e consequente queda dos cabelos. A carência de algumas vitaminas como a do complexo B pode desencadear e piorar quadros seborreicos com a inflamação do couro cabeludo, pois atuam como cofatores enzimáticos na síntese de queratina. A falta de vitamina C interfere na estrutura capilar. O déficit de ferro e zinco podem também levar a alterações do aproveitamento de aminoácidos essenciais à síntese do fio.

Nesse caso, alguns estudos já foram feitos e o uso de suplemento vitamínico poderá ajudar na melhora da resistência dos fios até que você mude hábitos alimentares.

Existem vários tipos de alopecia por isso é muito importante consultar profissionais especialistas que poderão identificá-la e orientar como tratá-la, pois há medicamentos e tratamentos para paralisar ou amenizar a queda dos cabelos. Para deixá-lo animado mostraremos alguns tratamentos já existentes no mercado que seu especialista poderá receitar qual será o melhor pra você:

. Minoxidil                                                                              . Análogos da prostaglandina

. Finasterida                                                                          . Inibidores tópicos da calcineurina

. Antralina                                                                              . Bexaroteno

. Corticoide                                                                            . Laser de fototermólise fracionado

. Imunoterapia tópica                                                         . Capsaicina

. Fotoquimioterapia                                                            . Suporte psicossocial

. Laser excimer                                                                    . Ciclosporina

. Metotrexate                                                                         . Biológicos

. Sulfassalazina

. Sulfassalazina

“Informamos que todo medicamento precisa de receita médica”

Alopecia é um assunto muito interessante, sempre vão surgir estudos a procura de novos tratamentos. Procure um especialista que poderá explicar mais sobre todos os tratamentos.

Se gostou deste conteúdo, não perca outras dicas incríveis para o cabelo que temos para você!