É de conhecimento da classe médica que a psoríase pode afetar grande número de pessoas. Estima-se que a doença atinja de 1% a 3% da população mundial e, entre os brasileiros, a ocorrência é de 1,3% segundo pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). No entanto, ela ainda é pouco conhecida e que gera muitas dúvidas.

Foi pensando nisso que desenvolvemos este post esclarecendo dúvidas acerca da psoríase. Assim, você pode entender como resolver a doença. Não deixe de verificar os tópicos a seguir!

O que é psoríase?

A psoríase é uma doença inflamatória, crônica e não contagiosa, da pele, cujas causas ainda são desconhecidas por grande parte da população. No entanto, ela é muito comum e se caracteriza pela descamação e vermelhidão do órgão.

Essa doença geralmente se desenvolve antes dos 30 anos ou após os 50 anos. Porém, também existem casos de pessoas que sofrem com o mal mesmo fazendo parte de outras faixas etárias.

Quais são os sintomas da psoríase?

Os sintomas se destacam pelas manchas rosadas ou vermelhas na pele, geralmente cobertas por escamas esbranquiçadas. Essas manchas podem gerar dores, queimação e coceira. Outro sintoma é a alteração da cor e da textura das unhas.

É comum que tais sintomas sejam confundidos com uma alergia. Por isso, é necessário ter sempre atenção se essas características surgirem e procurar ajuda médica para o correto diagnóstico.

O que pode causar a psoríase?

Não existe uma causa específica para a psoríase, porém, acredita-se que ela seja oriunda de fator genético. Já foi comprovado também que existem alguns fatores que podem facilitar o aparecimento da doença.

Infecções da garganta e na pele, estresse, exposição a alterações climáticas muito acentuadas, uso de medicamentos antidepressivos, fumo, consumo de álcool, entre outras causas, podem desencadear a psoríase.

Existe mais de um tipo de psoríase?

Sim, a psoríase se subdivide em diferentes tipos, sendo os principais, os seguintes: psóríase em placa, psoríase do couro cabeludo, psoríase gutata, psoríase pustolosa, psoríase inversa, psoríase eritrodérmica e artrite psoriásica.

Dentre essas classificações, a psoríase em placa é a mais comum e, se não for tratada, pode se agravar e gerar os outros tipos citados.

Como é feito o tratamento da psoríase?

O tratamento da psoríase varia de acordo com o quadro do paciente, que deve sempre buscar auxílio de um médico dermatologista. Esse profissional pode propor tratamentos com medicamentos de uso oral combinados com aplicações de cremes e pomadas nas manchas.

Sendo assim, nos casos mais leves, a aplicação de remédios tópicos, a correta hidratação da pele e a não-exposição aos raios solares costumam ser o suficiente para resolver a psoríase. Em casos em que a doença está mais avançada, por outro lado, é recomendado o tratamento ultravioleta e também o uso de medicação oral ou injetável.

De modo geral, os medicamentos receitados para combater a psoríase têm a função de aliviar os sintomas, como a coceira e inflamação nas manchas. São prescritos remédios como isotretinoína, ciclosporina, metotrexato, antralina e etretinato. 

No entanto, é importante enfatizar que a automedicação não pode ser feita, pois os remédios variam de caso para caso e somente o médico, com base em resultados de exames, pode fazer um diagnóstico correto do que precisa ser utilizado.

Gostou de saber mais sobre esse assunto? Então fique sempre muito bem informado sobre as questões de saúde assinando nossa newsletter! Assim você terá conteúdo de qualidade com frequência em sua caixa de e-mail.